Não Intervenção e Legitimidade Internacional E-Book


Não Intervenção e Legitimidade Internacional - Jubilut,Liliana Lyra pdf epub

PREÇO: GRÁTIS

EM FORMAÇÃO

LÍNGUA: PORTUGUÊS
HISTÓRIA: 2010
ESCRITORA/ESCRITOR: Jubilut,Liliana Lyra
ISBN: 9788502098046
FORMATO: PDF EPUB MOBI TXT
TAMANHO DO ARQUIVO: 12,50

EXPLICAÇÃO:

A obra analisa a não intervenção, ferramenta jurídica para refreamento do uso da força no cenário internacional que enfrenta grave crise de aplicabilidade, sendo esta obra útil aos que buscam compreender seu papel frente aos dilemas e desafios nos cenários dos direitos internacional e humanitário.

...onal . By Liliana Lyra Jubilut. Abstract ... Não intervenção e legitimidade internacional - CORE ... . Divulgação dos SUMÁRIOS das obras recentemente incorporadas ao acervo da Biblioteca Ministro Oscar Saraiva do STJ. Em respeito à lei de Direitos Autorais, não disponibilizamos a obra na íntegra. A obra analisa a não intervenção, ferramenta jurídica para refreamento do uso da força no cenário internacional, esta obra pretende ser útil para os que buscam compreender seu papel frente aos dilemas e desafios nos cenários dos direitos internacional e humanitário. USO DA FORÇA NO DIREITO INTERNACIONAL ... Não intervenção e legitimidade internacional - CORE ... . USO DA FORÇA NO DIREITO INTERNACIONAL E INTERVENÇÃO ... uma paz duradoura, e, ao mesmo tempo, institucionalizar mecanismos para dar legitimidade às guerras das grandes potências, sob questionáveis argumentos de legítima defesa, é no mínimo paradoxal. A isso ... Compare Preço de Não Intervenção e Legitimidade Internacional - Jubilut, Liliana Lyra - 9788502098046. Economize comprando em lojas confiáveis! Mas aí não se critica a intervenção em si, substancialmente, mas uma variante possível, a má intervenção, a intervenção ineficaz e mal conduzida estrategicamente. É por tal motivo que, como será melhor exposto no capítulo seguinte, a Comissão Internacional sobre Intervenção e Soberania dos Estados estatuiu como pressupostos da intervenção legítima o emprego de meios proporcionais e a probabilidade razoável de êxito. internacional tem mostrado perante os crescentes casos de falhanço estatal - utilizando como justificação a clássica teoria da não-intervenção, presente nos artigos 2.4 e 2.7 da Carta da ONU -, levando a que o unilateralismo emirja crescentemente como o segundo tipo de resposta usualmente adoptado no seu seio. Na medida em que a intervenção tem como escopo a proteção da integridade da pessoa humana, a preservação de sua dignidade e prevenção de violações maciças aos direitos fundamentais, julga-se a intervenção humanitária internacional um instrumento legal e legítimo para ações em Estados soberanos. A intervenção é a ingerência de um Estado nos negócios peculiares, internos ou externos, de outro Estado soberano com o fim de impor a este a sua vontade e caracteriza-se pela existência de três condições: imposição da vontade exclusiva do Estado que a pratica, a existência de dois Estados soberanos e de um ato abusivo, não baseado em compromisso internacional. O princípio da não-intervenção não dá ao jurisdicionado o direito de fazer o que bem entender, assim como não se pode caracterizar de i...