Um Resgate de Inverno - Nova Ortografia E-Book


Um Resgate de Inverno - Nova Ortografia - Loughrey,Anita pdf epub

PREÇO: GRÁTIS

EM FORMAÇÃO

LÍNGUA: PORTUGUÊS
HISTÓRIA: 2012
ESCRITORA/ESCRITOR: Loughrey,Anita
ISBN: 9788538042396
FORMATO: PDF EPUB MOBI TXT
TAMANHO DO ARQUIVO: 4,29

EXPLICAÇÃO:

Sobrevoe as maravilhas do inverno e salve o dia com a coruja. Os dias gelados de inverno podem ser bonitos.Há uma cobertura de neve pelos campos e gotas de gelo pendem dos galhos das árvores. Mas, como o coelhinho logo descobre, esses dias também podem ser perigosos. Será que a coruja vai conseguir resgatá-lo?

...licação do Acordo Ortográfico de 1990, a palavra "inverno" tem um comportamento que a aproxima de um nome comum, pois admite restrições (ex ... o escrevinhador: acordo ortográfico ... .: tivemos um inverno seco ) e pode variar em número (ex.: já passámos vários invernos no Porto), havendo inclusivamente uma acepção da palavra em que é sinónima de "ano" (ex.: era um homem já com muitos invernos). Definição ou significado de inverno no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa. estação do ano entre o outono e a primavera, em que a duração dos dias vai aumentando mantendo-se sempre menores do que as noites, e que s ... o escrevinhador: acordo ortográfico ... . estação do ano entre o outono e a primavera, em que a duração dos dias vai aumentando mantendo-se sempre menores do que as noites, e que se caracteriza, nas zonas temperadas, pelo frio e pela chuva (no hemisfério norte, começa entre 21 e 22 de dezembro, e no hemisfério sul, entre 20 e 21 de junho) Depois, passo com jornal ou um pano que não deixe pelo. Há quem prefira usar produtos limpa vidros, mas o detergente da louça funciona, para mim, ainda melhor! Não é que a casa fique mais suja de inverno, mas as roupas de lã, os cobertores e os tapetes, fazem com que se acumule mais cotão, e mais pó. Novo inverno após novo outono volve À diferente terra Com a mesma maneira. Porém a mim nem me acha diferente Nem diferente deixa-me, fechado Na clausura maligna Da índole indecisa. Presa da pálida fatalidade De não mudar-me, me infiel renovo Aos propósitos mudos Morituros e infindos. Ricardo Reis LUÍS de Camões, Alexandre Herculano, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, José Gomes Ferreira e Sophia de Mello Breyner Andresen - e isto só para citar alguns nomes da literatura portuguesa, entre muitos mais - nunca imaginaram que a expressão linguística, catapu...